Grandes Portais x Redes Sociais

Setas no alvo

É clara a força do conteúdo x plataforma, ou seja, o importante mesmo é a relevância do conteúdo a ser acessado e não o site, portal, rede social etc. Mas, e quando a guerra se estabelece entre as plataformas? Uma forma de comodite da modernidade, em minha visão.

Que a internet é o meio que mais cresce e o que vai integrar todos os meios (tv aberta, tv por assinatura, radia, revista e jornal) acho que ninguém duvida, mas para preservar o maior ativo de todos, o conteúdo, as plataformas parecem estar a ponto de reeditar uma guerra fria. Logicamente que, o output disso tudo é manter a audiência e poder seguir crescendo em faturamento.

Mas vamos ver alguns números e tentar dar um pitaco nesse tema. Hoje, a internet é acessada por quase a metade da população. Segundo dados da Nielsen Sport Track o acesso à grande rede cresceu 45% entre 2008 e 2012. Um prato cheio para os grandes portais e redes sociais, uma vez que isso é potencial de audiência bruta!

Enquanto essa população navega livre pelos grandes portais e sites diversos, 84% dos internautas diz ter uma conta em pelo menos uma grande rede social. Esse número impressionante trouxe um grande dilema para as marcas e geradores de conteúdo e, porque não dizer, para os grandes portais e outros meios também.

Todos correram para as redes sociais, seja para divulgar algumas informações, remetendo para seus respectivos sites, seja com uma fanpage. A ideia é legítima, ou seja, usar as grandes redes para ampliar a audiência e remetê-la para seus portais de origem. Afinal, estão quase todos por lá mesmo!

Ora, mas fazendo isso você incrementa o conteúdo das redes sociais na expectativa de trazer essa audiência para seu portal. Vejo como um risco, pois essa audiência pode se “dar” por satisfeita na própria rede social.

Bem, mas e quando cada um dos quase 100 milhões de internautas se tornam um meio? Sim, um meio, pois eles passam a divulgar as notícias, a espalhar algo que antes estava “preso” em um grande portal?

É preciso usar com sabedoria e criatividade as redes sociais para proteger “seu” conteúdo. Alguns sairam das redes, outros sequer mencionam os nomes das redes, mas muitos seguem usando-as com criatividade, “obrigando” a audiência a ir ao portal, pois escondem a imagem principal da notícia ou contam parte notícia.

Enfim, como digo há cerca de 10 anos. O conteúdo vencerá, ainda mais quando se adiciona a ele inteligência, estratégia e criatividade!!!

Rafael Plastina, Diretor da Nielsen Sports Brasil e Professor dos cursos de Pós-Graduação em Gestão e Marketing Esportivo da Trevisan e da Anhembi Morumbi (rafaelplastina.com.br / @rplastina)

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s